ONU vai investigar novos ataques na República Centro-Africana

23 dezembro 2014

Missão das Nações Unidas no país, Minusca, cita ações em diversas zonas que ocorreram nos últimos dias, com mortos; houve registo de conflito entre grupos anti-Balaka e capacetes azuis das Nações Unidas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana, Minusca, está preocupada com ataques recentes ocorridos em várias zonas do país.

No sábado, elementos anti-Balaka envolveram-se em confrontos com soldados de paz da ONU em Berberati, quando as tropas da Minusca chegavam para conter os ataques na área. Um combatente anti-Balaka e um civil morreram na ação.

Tensão

No sábado, a Minusca conseguiu confiscar diversas armas. No domingo, um novo confronto armado decorreu em Nola, que resultou num capacete azul e um civil ligeiramente feridos. Outros quatro membros anti-Balaka foram presos e desarmados.

A missão também verificou confrontos próximo de Bambari, entre integrantes do grupo anti-Balaka e antigos combatentes Séleka. Relatos apontam para a morte de três combatentes ex-Séleka e quatro civis.

Direitos Humanos

A situação permaneceu tensa esta segunda-feira em Batangafo, declarou a Minusca. A seguir à morte de outros dois combatentes ex-Séleka por rebeldes anti-Balaka.

Com os ataques recentes, a missão prometeu enviar uma equipa de direitos humanos para investigar a situação nas regiões da República Centro-Africana.

*Apresentação: Eleutério Guevane.