Banco Mundial aprova US$ 170 milhões em prol das meninas do Sahel

22 dezembro 2014

Objetivo é aumentar acesso a serviços de saúde reprodutiva, materna e infantil em cinco países africanos; vice-presidente do órgão para a região fala na criação de mais oportunidades económicas para mulheres e raparigas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Banco Mundial aprovou US$ 170 milhões para aumentar os serviços de saúde reprodutiva, materna e infantil na região africana do Sahel. O projeto também irá ajudar a promover programas para o desenvolvimento e autonomia das mulheres.

O vice-presidente do Banco Mundial para África afirmou que “para acabar com a pobreza no continente e garantir mais prosperidade às famílias, é necessário melhorar o acesso à saúde das mulheres e à educação das raparigas”.

Nascimentos

Makhtar Diop explicou que alcançar esses objetivos é ainda mais crítico aos países do Sahel, que têm uma das maiores taxas de natalidade do mundo. Segundo ele, melhorar o acesso aos serviços de planeamento familiar pode criar mais oportunidades para as mulheres e jovens da região.

O novo programa será coordenado com o Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, com a Fundação Bill e Melinda Gates e outros parceiros. Dos US$ 170 milhões, o Níger irá receber a maior parcela, mais de US$ 53 milhões.

Países Beneficiados

Já o Mali terá US$ 40 milhões em crédito, sendo Cote d’Ivoire, Chade e Mauritânia os outros países beneficiados. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Ecowas, irá receber US$ 5 milhões.

A aprovação da verba chega um ano após o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, ter visitado o Sahel ao lado do secretário-geral Ban Ki-moon. Na ocasião, foram prometidos US$ 1,5 mil milhão para o desenvolvimento local, incluindo projetos para reduzir riscos de desastres naturais e oportunidades para famílias em áreas rurais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud