Nações Unidas saúdam condenação de ex-integrante do exército congolês

16 dezembro 2014

Bedi Mobuli Engangela foi tenente-coronel das forças armadas e setenciado à prisão perpétua por crimes contra a humanidade, incluindo estupros e escravidão sexual; representante da ONU elogia veredicto.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

A representante especial das Nações Unidas sobre Violência Sexual em Conflitos elogiou a condenação de um ex-integrante do exército da República Democrática do Congo.

Para Zainab Bangura, o veredicto “manda uma mensagem clara aos perpetradores de violência sexual, de que não podem escapar da justiça” só por usarem um uniforme.

Crimes

O ex-tenente-coronel das forças armadas congolesas, Bedi Mobuli Engangela, era conhecido como “Coronel 106” após comandar uma batalha no Kivu Sul. Ele foi condenado à prisão perpétua por crimes contra a humanidade, incluindo estupros, escravidão sexual e assassinatos cometidos entre 2005 e 2007.

A decisão da corte militar da província de Kivu Sul, a leste da RD Congo, é a última numa história recente de condenações de militares e de policiais por crimes de violência sexual.

Segundo Zainab Bangura, o julgamento e a condenação do “Coronel 106” e de outros oficiais mostram aos sobreviventes que as suas vozes foram ouvidas e que já não precisam de sofrer em silêncio.

A condenação também foi elogiada pela Missão de Estabilização das Nações Unidas na RD Congo, Monusco.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud