Relatora quer padrão internacional para combater violência contra mulheres
BR

4 dezembro 2014

Especialista da ONU disse que os Estados membros devem também criar um órgão para monitorar os casos e as ações dos governos sobre esse tipo de crime; segundo dados das Nações Unidas, uma em cada três mulheres no mundo é vítima de violência.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A relatora especial da ONU sobre Violência contra Mulheres, Rashida Manjoo, quer a implementação de um padrão internacional legal para combater a violência contra mulheres.

Manjoo disse que os Estados membros devem também criar um órgão para monitorar e cobrar dos países respostas às ações realizadas contra violações dos direitos humanos, sofridas em sua maior parte por mulheres e meninas.

Vítima

Segundo dados da ONU, uma em cada três mulheres no mundo é vítima de violência.

Para Manjoo, “com uma estimativa global alcançando proporções epidêmicas, é deplorável que o combate à violência não tenha atraído ainda até agora o mesmo nível de foco, compromisso e recurso que os crimes que não envolvem gênero”.

Ela afirmou que a falta de um documento legal a nível internacional sobre o assunto representa um dos maiores obstáculos à promoção e proteção dos direitos das mulheres e da igualdade de gêneros.

A relatora especial disse que “a violência contra mulheres deve ser reconhecida como uma barreira à concretização de todos os direitos humanos e, consequentemente, ao exercício eficaz da cidadania”.