ONU: “combate ao ebola teve sucesso, mas certos locais ainda estão em crise”
BR

1 dezembro 2014

Afirmação é do chefe da Missão de Resposta de Emergência ao Ebola, Unmeer, Anthony Banbury; meta era tratar 70% dos pacientes e realizar 70% dos enterros de forma segura até 1º de dezembro.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

A ONU afirmou que a resposta global ao ebola teve sucesso. A declaração foi feita, esta segunda-feira, pelo chefe da Missão de Resposta de Emergência ao Ebola, Anthony Banbury, e pelo enviado especial do secretário-geral sobre o ebola, David Nabarro.

Em entrevista em Freetown, na Serra Leoa, Nabarro declarou que “apesar disso, a situação do ebola pode piorar de forma inesperada”.

Ajuste

David Nabarro disse que 70% dos casos da doença foram isolados e tratados, e 70% dos mortos enterrados com segurança em 60 dias. A operação foi implementada no início de outubro.

Nabarro afirmou que agora mais do que nunca as respostas ao surto devem ser ajustadas à sua evolução. Segundo os últimos dados da ONU, foram registrados 16203 casos e 6943 mortes em oito países, sendo que os mais atingidos são a Libéria, Serra Leoa e Guiné.

O chefe da Missão de Resposta de Emergência ao Ebola, Unmeer, Anthony Banbury declarou que “todos os envolvidos no combate à doença foram extremamente bem-sucedidos no controle da crise”.

Taxa de Transmissão

Banbury disse que até o momento as previsões de aproximadamente 1 milhão de casos da doença não se concretizaram.

Banbury explicou que quando a Unmeer foi criada havia 5 mil novos casos mensais, e que agora são registrados menos de 500. Na altura do envio da missão à região, as previsões até 1 de dezembro, feitas com os melhores epidemiologistas, apontavam para mais 10 mil novos casos semanais nos três países. Neste momento, a taxa está em menos de 10% desse número.

Para a Unmeer, onde a taxa de transmissão é alta a ênfase deve ser dada à mobilização da comunidade mas também aos centros de tratamento, aos enterros seguros e aos serviços essenciais para os que precisam. Ele disse que todos os elementos são necessários quando o surto é maior que a resposta.

Banbury disse ainda que intensidade das transmissões e número de novos infectados pela doença continuam variando muito a cada dia, baixando em alguns distritos e aumentando em outros.

Vacina

Sobre a fabricação de uma vacina, David Nabarro disse que estão sendo feitos esforços intensos nesse sentido.

Ele apelou para que haja vigilância até o fim do surto e que as autoridades evitem a volta do ebola em áreas que já estão livres da doença.

Com o ajuste da resposta ao surto, Nabarro disse que a ênfase muda para que o foco esteja em encontrar locais ou pessoas com o ebola, rastrear as pessoas com quem os doentes tiveram contato e assegurar que elas tenham o apoio e o tratamento necessários.

*Apresentação: Edgard Júnior.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud