Capacetes azuis levantam preocupações sobre condições no Mali

28 novembro 2014

Grupo de 30 chadianos procurou o comandante das forças da Minusma e  autoridades militares do seu país;  grupo retornou a Ageul'hoc  para se juntar ao resto do contingente do seu país. 

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 30 elementos das forças de paz da Missão da ONU no Mali, Minusma,  levantaram preocupações sobre condições de vida e pagamentos junto do comandante das forças e das autoridades militares do seu país, o Chade.

De acordo com a porta-voz da missão,  o grupo está de volta ao acampamento de Ageul'hoc,  no norte, de onde partiu  para o encontro numa outra base na última segunda-feira.

Relatos

Falando à Rádio ONU, de Bamako, Radhia Achouri refutou relatos de  meios de comunicação que dariam conta da deserção ou motim dos soldados de paz.

Como explicou,  os capacetes azuis decidiram canalizar o assunto à atenção de decisores, tendo afirmado que o  melhor seria que eles procedessem de uma forma diferente.

Conforme contou, os salários do grupo de forças são pagos pelo Chade, enquanto as Nações Unidas se encarregam da diária do grupo. Na região, estão estacionados 170 elementos chadianos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud