Violência do Boko Haram força 13 mil a fugirem da Nigéria para Camarões

12 novembro 2014

Informação é da agência da ONU para refugiados; maior parte dos deslocados já retornou à Nigéria; mulheres e crianças eram maioria.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, a violência de integrantes do Boko Haram no nordeste da Nigéria continua a levar milhares de refugiados a cruzarem a fronteira com os Camarões.

Autoridades do país anfitrião afirmam que cerca de 13 mil nigerianos atravessaram do estado de Adamawa para o país vizinho depois de insurgentes atacarem e capturarem a cidade de Mubi, em finais de outubro.

Mulheres e Crianças

De acordo com autoridades locais de Camarões, a grande maioria destes 13 mil deslocados já retornou à Nigéria. Elas afirmaram ter facilitado o movimento e fornecido escolta para garantir a segurança dos que estavam a transitar pelo seu território.

O Acnur entrevistou algumas pessoas que fizeram este percurso e afirma que mulheres e crianças eram a “vasta maioria”. Elas afirmaram que muitas famílias foram forçadas a fugir a pé.

Retorno

A agência está a examinar alegações de que alguns destes refugiados podem ter sido forçados a retornar à Nigéria. O orgão procura garantias dos dois países africanos de que o retorno destas pessoas foi feito de forma voluntária.

O Acnur afirma que os Camarões receberam milhares de refugiados na Nigéria e República Centro-Africana e encoraja o país a manter sua política de acolher deslocados.

Antes dos últimos ataques na área nigeriana de Mubi, autoridades camaronesas confirmaram que mais de 43 mil pessoas haviam pedido refúgio no país. Destes, cerca de 17 mil estão a viver atualmente no campo de refugiados de Minawao, gerido pelo Acnur e outras agências humanitárias.

Proteção Internacional

De acordo com autoridades locais, a crise no nordeste da Nigéria levou à fuga de mais de 100 mil pessoas para o Níger desde maio de 2013, incluindo refugiados nigerianos e cidadãos no Niger, assim como 2,7 mil deslocados do Chade. Ao mesmo tempo, o Acnur afirma que mais de 650 mill pessoas são  deslocados internos nos seis estados do nordeste da Nigéria.

A agência da ONU apela aos Estados que mantenham suas fronteiras abertas aos nigerianos que estejam a fugir do país e precisem de proteção internacional.

Leia mais:

ONU disponibiliza US$ 3,5 milhões para ajuda humanitária na Nigéria

Fundo de População quer fornecer ajuda para meninas da Nigéria

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud