OMS quer controlo mais eficaz da ‘causa mais frequente da epilepsia’

11 novembro 2014

Forma evoluída da infeção pela ténia, a neurocisticercose é  considerada  a causa comum de convulsões em todo o mundo; cerca de oito em cada 10 pacientes  com epilepsia está nos países em desenvolvimento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial de Saúde, OMS,  afirmou que a  neurocisticercose é a  causa mais frequente e evitável da epilepsia no mundo em desenvolvimento.

O consumo de carne de porco mal cozida ou de água contaminada por larvas da ténia estão entre as causas da infeção do sistema nervoso central. A doença desenvolve-se em forma de larvas que invadem os tecidos do corpo quando a teníase, uma infeção intestinal da ténia adulta, não é tratada.

Larvas

Com o acúmulo das larvas no sistema nervoso central, nos músculos, na pele e nos olhos a evolução ocorre até a neurocisticercose. Além de ser a forma mais grave da doença é uma causa comum de convulsões em todo o mundo, explica a OMS.

A agência estima que 50 milhões de pessoas convivem com epilepsia e que mais de 80% destas estejam a viver nos países em desenvolvimento.

Diagnóstico

O fundamental para um controlo eficaz e para que seja quebrado o ciclo de vida do parasita é detetar casos, melhorar o diagnóstico e o tratamento,  além de promover informação e campanhas de saúde pública.

A OMS declara que a infeção comum do sistema nervoso humano é uma crescente preocupação de saúde pública. As más práticas de higiene são a outra forma de contaminação.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud