Chefe da ONU saúda Pyongyang após libertação de dois americanos no sábado

8 novembro 2014

Trata-se de Kenneth Bae, condenado a 15 anos de prisão, e Matthew Miller que cumpria pena de seis anos de trabalhos forçados; secretário-geral destaca momento positivo e diz esperar melhoria das relações na península coreana.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral saudou a libertação de dois cidadãos dos Estados Unidos pela Coreia do Norte, neste sábado.

Segundo agências de notícias, o operador turístico e missionário cristão Kenneth Bae, de 42 anos, foi condenado a 15 anos de prisão após ter sido detido há dois anos. Ele foi acusado de usar o seu negócio para formar grupos para derrubar o governo.

Acusação

Matthew Todd Miller, de 24 anos, foi condenado a seis anos de trabalhos forçados em setembro. A acusação veiculada pela media oficial de Pyongyang é de ter cometido "atos hostis".

Ban Ki-moon disse que aprecia a decisão da libertação dos dois cidadãos, após a soltura de Jeffrey Fowle no mês passado. Ele também é cidadão dos EUA.

O chefe da ONU diz expressa o seu alívio pelo seu retorno dos libertados em segurança e elogia o trabalho dos parceiros internacionais pela ajuda para garantir a medida.

Retorno

Agências de notícias citam o governo dos EUA a confirmar a deslocação do seu diretor da Inteligência Nacional para a Coreia do Norte, para acompanhar o retorno dos ex-prisioneiros.

Na nota, Ban disse esperar que o momento positivo melhore as relações entre as partes interessadas na paz e na segurança da península coreana.

Fowle, 56 anos, foi detido no início de junho acusado de crimes contra o Estado. Ele teria deixado uma Bíblia num restaurante da cidade portuária de Chongjin, a norte do país asiático.