Relator especial da ONU pede ação global contra racismo nos esportes
BR

5 novembro 2014

Mutuma Ruteere quer que países membros das Nações Unidas adotem medidas apropriadas para combater o problema; entre elas estão propostas para desmascarar discursos de superioridade racial e pregar a igualdade.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O relator especial da ONU Mutuma Ruteere pediu esta segunda-feira uma ação global para erradicar o racismo dos esportes.

Ruteere quer que os países membros das Nações Unidas “adotem medidas apropriadas para aproveitar o potencial dos esportes para desmascarar discursos de superioridade racial”.

Racismo

O relator quer também “mobilizar as pessoas nesse sentido e transmitir a mensagem de igualdade e não discriminação”.

Segundo Ruteere, “a erradicação do racismo no esporte é uma preocupação urgente que exige uma ação coletiva pelas organizações internacionais, federações esportivas, governos e sociedade civil”.

No relatório, ele disse que “infelizmente, os esportes modernos continuam sendo afetados por incidentes de violência racial, insultos e intolerância nos campos de futebol e nas quadras de basquete e tênis”.

Ruteere mencionou ainda “a questão do acesso igualitário pelas minorias a esportes conhecidos como de “brancos” ou da “elite”, como por exemplo ciclismo, tênis, golfe, natação e eventos equestres”.

O relator afirmou também que algumas práticas e iniciativas positivas de integração para evitar e combater o racismo estão sendo aplicadas por vários governos e organizações, entre elas, o Comitê Olímpico Internacional, COI, e a FIFA.