Liberdade de religião deve ser protegida também no ambiente de trabalho
BR

24 outubro 2014

Afirmação é do relator especial sobre o tema e especialista em direitos humanos da ONU, Heiner Bielefeldt; ele apresentou relatório à Assembleia Geral.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

A liberdade de uma pessoa de manifestar sua religião ou crença sem discriminação deve também ser protegida no ambiente de trabalho.

A afirmação foi do relator especial para o assunto, Heiner Bielefeldt.

Direitos Humanos

O especialista em direitos humanos apresentou seu mais novo relatório à Assembleia Geral. Ele apelou a todos os governos que tomem as medidas necessárias para prevenir e eliminar todas as formas de intolerância e discriminação baseada em religião ou crença.

Falando a jornalistas na sede da ONU em Nova York, o relator especial destacou que “muitas pessoas passam grande parte de sua vida no ambiente de trabalho e que excluir manifestações de religião e crença nestes locais significa uma grande limitação”.

Em seu relatório, o especialista oferece recomendações práticas e examina fontes de intolerância religiosa e discriminação no ambiente de trabalho.

Estas poderiam ser múltiplas e incluíriam preconceitos entre empregadores, funcionários ou clientes, interpretações restritivas de “identidade corporativa” e medo geral de diversidade religiosa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud