Chefe da Monusco condena assassinato de civis na RD Congo

10 outubro 2014

Nove pessoas foram mortas por possíveis integrantes do grupo rebelde ugandês ADF numa ação ocorrida em Oicha, no leste do país; Martin Kobler, chefe da missão da ONU apela ao fim da violência.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

O chefe da Missão de Estabilização da ONU na República Democrática do Congo, Monusco, condenou esta sexta-feira o assassinato de nove civis.

A suspeita é de que possíveis integrantes do grupo rebelde ugandês Forças Democráticas Aliadas, ADF, tenham levado a cabo a ação em Oicha, a 30 km de Beni, a leste do país.

Luta

O chefe da Monusco, Martin Kobler, afirmou estar profundamente chocado com o ataque que considerou ser “desprezível”. Segundo ele, a ação só mostrou a necessidade de reforçar a luta contra grupos armados na RD Congo.

Kobler apelou ao fim da violência e disse que a Monusco fará tudo que está a seu alcance para ajudar o governo a neutralizar as ADF e outros grupos rebeldes que “aterrorizam a população civil no país”.

O ataque ocorreu na madrugada de quarta-feira para quinta-feira, quando rebeldes invadiram Oicha e mataram nove pessoas de duas famílias, incluindo crianças. Com o ataque, houve deslocamento em massa de civis. Entre 3 mil e 5 mil pessoas chegaram em Beni nas últimas 24 horas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud