ONU condena desaparecimentos e mortes no México
BR

8 outubro 2014

Organização pediu resposta imediata das autoridades mexicanas; na semana passada seis pessoas morreram e 43 desapareceram depois de choques entre estudantes e policiais.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.*

O sistema das Nações Unidas no México condenou de forma veemente os incidentes de 26 e 27 de setembro que deixaram seis mortos e 14 feridos na cidade de Iguala, no Estado de Guerreiro.

A ONU México informou que 43 alunos da Escola Normal Rural Raúl Isidro Burgos desapareceram após os incidentes.

Polícia

A organização cita a participação direta da polícia municipal de Iguala e de homens armados não identificados.

A ONU México pediu às autoridades uma ação imediata para encontrar os jovens desaparecidos e também uma investigação sobre o ocorrido.

Segundo as Nações Unidas, o Estado mexicano deve adotar medidas para garantir que violações dos direitos humanos não voltem a acontecer.

Além disso, a ONU México reiterou sua disponibilidade de continuar trabalhando com as autoridades do país a favor do respeito e da proteção dos direitos de todas as pessoas.

Confronto

Segundo as agências de notícias internacionais, o confronto entre os estudantes e os policiais aconteceu depois de o grupo realizar uma manifestação de protesto contra o sistema de contratação de professores, considerado discriminatório.

Os relatos publicados pela imprensa mostram duas versões, a primeira é de que os alunos teriam embarcado em três ônibus depois do evento, mas a polícia alega que os estudantes sequestraram os veículos.

Os promotores mexicanos disseram que foram encontradas seis covas rasas em 4 de outubro com pelo menos 28 corpos.

As autoridades afirmaram que os corpos foram queimados e ainda não foi possível identificá-los. Os exames de DNA devem levar dias ou semanas para ficarem prontos.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Os promotores afirmaram que não se sabem ainda os motivos para a polícia ter atirado contra os estudantes ou o que está por trás do desaparecimento do grupo.