FAO diz haver risco de retorno da praga de gafanhotos em Madagáscar

2 outubro 2014

Apesar do sucesso em conter o inseto, a agência da ONU diz que falta de US$ 14 milhões pode atrapalhar progressos; em abril, plantações de arroz foram afectadas, prejudicando rendimentos de 13 milhões de pessoas. 

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Uma praga de gafanhotos que se espalhou por Madagáscar e ameaçou plantações e pastos foi contida com sucesso, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO. 

Mas os progressos para conter o inseto estão a correr risco, devido à falta de verbas, alertou a agência. É prevista piora da praga de gafanhoto devido às temperaturas e à humidade no mês de outubro.

Urgência

Segundo a FAO, são necessários US$ 14,7 milhões para equipamentos, pesticidas e contratação de funcionários.

Governos de vários países como Áustria, Bélgica, França, Itália, Japão e do Madagáscar, por meio de um empréstimo com o Banco Mundial, doaram US$ 28 millhões, mas a verba adicional é necessária com urgência.

Destruição

A praga “altamente destrutiva” deu-se início a abril de 2012 no sudoeste do país. Segundo a FAO, em abril deste ano, os gafanhotos chegaram às maiores plantações de arroz ao norte de Madagáscar, o que prejudicou o rendimento de 13 milhões de pessoas.

Danos maiores foram contidos graças a uma campanha de três anos, levada a cabo pela FAO e pelo governo do país. Mas fundos extras são essenciais para continuar o programa de controlo, especialmente com a proximidade da época de chuvas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud