Guiné-Bissau vai convocar Conferência de Doadores Internacionais
BR

29 setembro 2014

Anúncio foi feito pelo primeiro-ministro ao discursar na Assembleia Geral; Domingos Simões Pereira também assentos permanentes no Conselho de Segurança para Brasil, Alemanha, Índia e Japão.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Guiné-Bissau enfrenta uma “situação complexa e difícil”, segundo o primeiro-ministro do país.

Ao discursar na Assembleia Geral, na manhã desta segunda-feira, Domingos Simões Pereira pediu apoio da comunidade internacional para a estabilização da nação de língua portuguesa, no oeste da África. O chefe de Governo informou que vai realizar uma Conferência de Doadores no país.

Redução da Pobreza

“Com vista a reforçar a capacidade institucional do Estado, reduzir a pobreza e as vulnerabilidades das populações, garantir a estabilidade social, assegurar a legitimação social, a governação e relançar a economia. O Programa de Desenvolvimento a Médio Prazo será submetido aos parceiros internacionais numa Conferência de Doadores a realizar entre finais deste e inícios do próximo ano e para o qual solicitamos o indispensável apoio das Nações Unidas e de todos os parceiros multilaterais e bilaterais de cooperação.”

Segundo o primeiro-ministro, a agenda de governo inclui também o Programa de Urgência, para garantir estabilidade social e segurança alimentar. Já o Programa de Contingência foca na transparência e na responsabilidade dos acordos de exploração de florestas e do setor de pesca.

Nova Ordem

Domingos Simões Pereira também defendeu a reforma do Conselho de Segurança para “melhorar sua legitimidade representativa e para a  nova ordem internacional.”

“Nesta ótica, e conforme a posição da União Africana, a Guiné-Bissau advoga a atribuição de dois assentos permanentes com direito de veto e cinco assentos não permanentes no Conselho de Segurança para o continente africano. Igualmente, manifestamos o nosso apoio para a atribuição de assentos permanentes no Conselho de Segurança para o Brasil, o Japão, a Alemanha e a Índia.” 

Em seu discurso na Assembleia Geral, Domingos Simões Pereira também ofereceu a solidariedade da Guiné-Bissau às pessoas e aos países vítimas do terrorismo internacional. O primeiro-ministro reforçou o compromisso de seu governo para contribuir com a luta contra o flagelo.

Acompanhe a entrevista exclusiva de Domingos Simões Pereira à Rádio ONU.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud