Exclusiva: Rui Machete

27 setembro 2014

Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal fala à Rádio ONU sobre a cooperação do país à 69ª sessão da Assembleia Geral da ONU.

Para Rui Machete, o combate ao extremismo de grupos como o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, deve ser feito com a cooperação dos países árabes e islâmicos e também de líderes religiosos.

“É muito importante ter a colaboração dos países muçulmanos e dos muçulmanos em geral, das autoridades religiosas, para desautorizar. Para as pessoas perceberem que esta ação da Isis é profundamente ilegítima mesmo numa perspectiva religiosa. Mas para além de estar em contra é preciso manifestar essa desautorização e sobretudo através das lideranças religiosas. Para que isso não apareça como uma espécie de movimento do Ocidente contra o Oriente. É um movimento dos povos civilizados e das pessoas que respeitam a dignidade humana e contra aqueles que desrespeitam e são verdadeiramente criminosíssimos.”

Na entrevista, o chefe da diplomacia portuguesa também falou da cooperação com a Guiné-Bissau, no momento em que o país retoma suas relações com a comunidade internacional e os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp.

Machete comentou também a esperança de Portugal de integrar o Conselho de Direitos Humanos. O país é candidato nas próximas eleições, mas não enfrenta concorrentes no grupo, segundo o ministro.

Acompanhe a conversa com Mônica Villela Grayley.

Duração: 11'58"

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud