Portugal diz que mundo tem que assumir responsabilidade sobre clima

24 setembro 2014

Ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, diz à Rádio ONU que países estão a negociar em nome das futuras gerações, e que não há mais tempo a perder para se produzir metas ambiciosas até 2030.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Portugal afirmou que o mundo deve assumir a responsabilidade que tem para reverter os efeitos da mudança climática.

Em entrevista à Rádio ONU, enquanto participa da Cimeira do Clima, o ministro do Ambiente, Jorge Moreira  da Silva, diz que é hora de demonstrar ambição para salvar o planeta.

Investimentos

“Se nós pudermos assumir um quadro ambicioso de metas para 2030 e depois disso, isso habilita as empresas a organizarem a sua forma de gerir os recursos utilizando os recursos de uma forma mais eficiente, alocando nova tecnologia, desenvolvendo um planeamento dos seus investimentos. Eu julgo, portanto, que por razões científicas, por razões económicas e por razões de previsibilidade, que devemos assumir a nossa responsabilidade.”

Portugal participou da Cimeira do Clima, em Nova Iorque, que reuniu mais de 150 países para estabelecer ações concretas de redução do aquecimento global.  Segundo o chefe da pasta do Ambiente do país, as negociações de hoje ocorrem em nome das futuras gerações. 

“Esta política climática é mais difícil de concretizar porque não tem o horizonte de impacto na mesma legislatura em que é decidido. No fundo, estamos aqui a decidir em nome dos nossos filhos e dos nossos netos. Isso obriga uma liderança moral e um sentido ético muito mais até elevado.”

A delegação portuguesa à 69ª sessão da Assembleia Geral está a ser chefiada pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud