ONU informa que vai precisar de US$ 1 bilhão para combater ebola
BR

16 setembro 2014

Informação foi dada pelo coordenador da organização, David Nabarro, em Genebra; valor é 10 vezes maior que o pedido há somente um mês.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas informaram que vão precisar de US$ 1 bilhão, cerca de R$ 2,3 bilhões, para conter o surto de ebola na África Ocidental.

A informação foi dada pelo coordenador do Sistema da ONU para o tema, David Nabarro, durante em entrevista em Genebra nesta terça-feira.

Ações

Nabarro salientou que a quantia é 10 vezes maior que o valor pedido há um mês; segundo ele, a razão é que o surto dobrou de tamanho nos últimos meses.

O especialista destacou que a epidemia é “sem precedentes” e exige resposta internacional “excepcional” para abordar tanto a crise na saúde quanto as ameaças sociais, políticas e econômicas aos países afetados.

O surto continua se acelerando com quase 5 mil pessoas infectadas e mais de 2,4 mil mortes na Libéria, Serra Leoa, Guiné, Nigéria e Senegal.

Setor Privado

A Coalizão Global para Resposta ao Ebola foi criada para ajudar a melhor coordenar as ações para conter a crise. A operação junta as Nações Unidas, parceiros humanitários, setor privado, ONGs e instituições financeiras internacionais.

Um plano de resposta apresentado para os Estados membros das Nações Unidas em Genebra calcula que a transmissão do vírus deve diminuir até fim deste ano e desaparecer até meados de 2015.

A subsecretária-geral de Assistência Humanitária da ONU, Valerie Amos, afirmou que é preciso agir agora para evitar grandes consequências humanitárias no futuro.

Ela mencionou que equipes do Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, na África Ocidental e Central estão trabalhando nos países afetados. Uma equipe de coordenação e avaliação de desastres da ONU será enviada a Libéria em breve.

Amos destacou ainda que se “não houver trabalho conjunto, há um risco real que o medo, estigma e isolamento possam tomar mais vidas que o próprio vírus.”

Crianças

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou nesta terça-feira precisar de mais de US$ 200 milhões para responder ao surto de ebola na África Ocidental.

O Fundo calcula que 8,5 milhões de crianças e jovens com menos de 20 anos vivam nas áreas afetadas pelo vírus na Guiné, Libéria e Serra Leoa. Deste total, 2,5 milhões teriam menos de cinco anos de idade.

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, afirmou continuar aumentando sua resposta ao ebola através do fornecimento de comida, serviços e assistência logística. A agência e seus parceiros estão coletando dados para avaliar o impacto da crise na segurança alimentar e nos mercados. O objetivo é planejar uma resposta de longo prazo adequada.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud