OMS alerta que mais de 800 mil pessoas se suicidam por ano no mundo
BR

4 setembro 2014

Agência da ONU divulgou relatório pedindo ação global coordenada para reduzir o número de suicídios; Brasil ocupa a oitava posição entre os países que registram mais casos.

Edgard Júnior, da Radio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou esta quinta-feira que mais de 800 mil pessoas cometem suicídio no mundo. Isso representa uma morte a cada 40 segundos.

Segundo o relatório da OMS, o Brasil é o oitavo país com mais suicídios. Em 2012, foram registrados 11821 casos. A Índia está em primeiro lugar com 258 mil casos seguida da China com 120 mil. Segundo especialistas, uma das maiores causas para tentativas de suicídio é a depressão.

Brasil

De São Paulo, a psicóloga e psicoterapeuta Karen Scavacini, que participou da revisão do relatório da OMS, falou à Rádio ONU sobre a situação no Brasil.

“No Brasil hoje a gente tem em média um suicídio por hora. Foi um aumento maior do que o crescimento da população, maior do que o de homicídios e maior do que os acidentes de trânsito.”

O relatório global da agência sobre prevenção de suicídios mostra que 75% dos casos ocorrem em países de média e baixa rendas. Mas de uma forma geral, o suicídio ocorre em todos os países e faixas etárias.

Acesso

O relatório mostra que medidas adotadas em vários países, entre eles Canadá, Japão e Estados Unidos, para limitar o acesso das pessoas a métodos de suicídio ajudaram a reduzir o número de mortes.

Karen Scavacini falou também sobre o que pode ser feito para diminuir esse número.

“A primeira coisa é detectar casos de depressão e encaminhar as pessoas com depressão para tratamento. Porque 90% das pessoas que cometem o suicídio têm depressão no momento do ato. Além disso, reduzir o uso do álcool, o acesso ao álcool e drogas e o acesso ao meio, como a gente chama armas de fogo, pesticidas, acesso a pontes e edifícios. Esse são alguns dos meios que nós temos para diminuir essa alta do número de suicídios.”

O relatório da OMS mostra que as taxas de suicídio são maiores entre os que tem mais de 70 anos, mas atinge também outras faixas etárias. Ao mesmo tempo, o documento diz que o suicídio é a segunda maior causa de mortes entre pessoas de 15 a 29 anos.

Tabu

A diretora-geral da agência da ONU, Margaret Chan, afirmou que o relatório “é um chamado para ação para lidar com um grande problema de saúde pública que tem sido visto como um tabu há muito tempo”.

A OMS mostra ainda que os homens são os que mais morrem por suicídio, principalmente na faixa dos 50 anos.

A organização afirma que para reduzir o número de suicídios é necessário impedir o acesso das pessoas ao meios que levam a ação. Outras medidas incluem uma forma responsável de informar o público sobre esse tipo de caso.

Segundo a agência, é importante evitar uma linguagem sensacionalista e dar detalhes dos métodos utilizados.

A OMS recomenda que os governos envolvam vários departamentos no desenvolvimento de uma resposta compreensiva para combater o problema.

A meta do plano de ação de saúde mental da organização é que os Estados-membros reduzam a taxa de suicídios em 10% até 2020.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud