Ban pede a Israel que se abstenha de atividades de assentamento

1 setembro 2014

Secretário-geral declara-se alarmado com anúncio de que autoridades de Telavive vão declarar terras de Estado na Cisjordânia; chefe da ONU considera que decisão contraria a busca de uma solução de dois Estados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral disse estar alarmado com o anúncio de Israel de vai declarar como “terras do Estado” cerca de mil hectares da região de Belém, na Cisjordânia.

Agências de notícias informaram que a decisão foi anunciada no domingo pelo Departamento do Exército encarregue de administrar os assuntos civis na Cisjordânia.

Assentamentos

As informações das agências apontam que com a aquisição do terreno, na área de Gush Etzion, poderá ser expandido um assentamento chamado Gevaot.

Ban considerou ilegal a apreensão da grande faixa de terra que deve abrir caminho para uma maior atividade de assentamento.

O chefe da ONU lembrou que a organização reiterou esta posição à luz do direito internacional. O responsável disse também que a decisão contraria a busca de uma solução de dois Estados.

O pedido a Israel é que atenda aos apelos da comunidade internacional para que se abstenha de atividades de assentamento e cumpra os seus compromissos no âmbito do direito internacional e do Roteiro do Quarteto para o Médio Oriente.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud