Icao cria ações em resposta a riscos aéreos em zonas de conflito
BR

28 agosto 2014

Força-tarefa fechou acordo para um programa de trabalho e dois projetos imediatos; resultados preliminares do grupo serão divulgados na sessão do Conselho da agência em outubro.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Internacional da Aviação Civil, Icao, decidiu criar um programa de trabalho e dois projetos imediatos para lidar com os riscos para os aviões em zonas de conflito.

O primeiro projeto dessa força-tarefa vai avaliar como melhorar o sistema de aviso para pilotos, Notam, pela sigla em inglês, que já está em vigor.

Informações

O segundo projeto, coordenado por parceiros da Icao, busca criar um novo sistema central para compartilhar rapidamente as informações sobre riscos em áreas de conflito.

O presidente da força-tarefa, David McMillan, disse que esta reunião foi “especialmente produtiva” em relação a “objetivos desafiadores”.

A força-tarefa da Icao se reuniu numa situação de emergência após a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines, no leste da Ucrânia, em julho.

O principal objetivo do grupo é aperfeiçoar papeis e procedimentos em relação à mitigação de riscos de zonas de conflito no espaço aéreo civil.

Prioridade

Segundo o presidente do conselho da Icao, Olumuyiwa Benard Aliu, a “segurança do sistema de transporte aéreo civil internacional” é a maior prioridade do grupo.

A força-tarefa vai se reunir mais uma vez em dezembro, mas a Icao vai divulgar os resultados preliminares do grupo na sessão de seu Conselho em outubro.