Guiné-Bissau: Conselho de Segurança aplaude avanços na reconciliação

26 agosto 2014

Órgão realça papel desempenhado pelos guineenses com o apoio da comunidade internacional, da ONU e do bloco regional.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança realizou, esta terça-feira, uma sessão à porta fechada para debater a situação política na Guiné-Bissau.

Falando a jornalistas após o encontro, o embaixador britânico junto das Nações Unidas, que assume a presidência rotativa do órgão, disse que o ponto-chave foram os elogios aos progressos alcançados pela população.

Apoio

Mark Lyall Grant disse que o desempenho também resulta do apoio dado aos guineenses pela comunidade internacional, pelas Nações Unidas e pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Cedeao.

O embaixador afirmou ter havido uma saudação muito vigorosa de todos os intervenientes pelos progressos feitos pelos guineenses.

Diferença

Grant recordou que, há dois anos, o país teve duas delegações em sua representação na Assembleia Geral. O diplomata realçou que atualmente a realidade é diferente.

Este ano, a Guiné-Bissau elegeu o presidente e o primeiro-ministro nas primeiras eleições democráticas realizadas desde o golpe de Estado de 12 de abril de 2012.