ONU confirma libertação de jornalista americano nas Colinas do Golã
BR

25 agosto 2014

Peter Theo Curtis foi entregue a forças de paz das Nações Unidas neste domingo; segundo relatos, ele estava sendo mantido em cativeiro por quase dois anos na Síria.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas confirmaram que um jornalista americano foi libertado neste domingo e entregue a forças de paz da ONU nas Colinas do Golã.  Ele depois foi levado a autoridades dos Estados Unidos.

Segundo relatos, Peter Theo Curtis estava sendo mantido em cativeiro por militantes na Síria há quase dois anos.

ONU

Em nota, as Nações Unidas confirmaram que a organização trabalhou na libertação do jornalista.

De acordo com agências de notícias, ele foi capturado na fronteira entre a Turquia e a Síria em outubro de 2012.

Conselho de Segurança

Na sexta-feira, os membros do Conselho de Segurança condenaram com veemência o assassinato "hediondo e covarde" do jornalista americano James Foley pelo grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

Em nota, o órgão disse que o incidente é um "trágico lembrete" dos perigos cada vez maiores que os jornalistas enfrentam todos os dias na Síria. E que demonstra a brutalidade do grupo, responsável por abusos contra sírios e iraquianos.