Na Ucrânia, representante da ONU estuda ampliar ajuda humanitária
BR

22 agosto 2014

Valerie Amos afirma que situação no país piorou muito rapidamente; chefe do Ocha analisa como apoiar o governo na entrega de assistência a 190 mil pessoas que estão desalojadas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*  

A subsecretária-geral da ONU para Assuntos Humanitários está na Ucrânia em visita oficial. Valerie Amos, que é também chefe do Escritório para Coordenação Humanitária, Ocha, está avaliando as condições dos civis em áreas impactadas pelo conflito.

De Kiev, Amos concedeu entrevista à Rádio ONU e contou que a situação está piorando “muito rapidamente”. Por isso, a chefe do Ocha está avaliando como ajudar o governo ucraniano a fornecer assistência para 190 mil deslocados internos.

Prioridade

Ao chegar no país, na quinta-feira, Valerie Amos encontrou-se com o primeiro-ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, e com outros representantes do governo. Ela disse que as reuniões foram positivas.

A subsecretária-geral fez um apelo a todos que estão em conflito, para que lembrem que as pessoas comuns são as que mais sofrem e para que coloquem a “população em primeiro lugar”.

Comboio

Amos afirmou esperar que as atuais conversações políticas levem ao fim da violência e a um cessar-fogo. Sobre o comboio da Rússia que entrou na Ucrânia, a chefe do Ocha diz que as Nações Unidas não estão envolvidas no caso e quem acompanha é o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

O subsecretário-geral para Assuntos Políticos também está visitando a Ucrânia. Na quinta-feira, Jeffrey Feltman encontrou-se com o presidente Petro Poroshenko, quando ressaltou a esperança “em uma situação política pacífica para salvar vidas e evitar uma crise humanitária”.

*Com reportagem de Elena Vapnitchnaia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud