Situação de brasileiros no Japão é um dos temas de debate na ONU
BR

21 agosto 2014

Comissão sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial analisou o sétimo e nono relatórios do país asiático e a questão da repatriação de japoneses que migraram para o Brasil, mas que quiseram voltar à casa.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A situação da discriminação racial no Japão e a forma como a nação asiática trata os grupos étnicos abrigados no país foi o tema de um debate nas Nações Unidas.

A reunião, realizada nesta quinta-feira, em Genebra, na Suíça, analisou os relatórios periódicos do Japão na Comissão sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial.

Medidas

Um dos temas debatidos foi o retorno à casa de japoneses que imigraram para o Brasil. O governo japonês recebeu perguntas da comissão e de peritos em discriminação racial. Um deles quis saber como está ocorrendo a reintegração de japoneses migrantes que se mudaram para o Brasil, mas que quiseram retornar à casa.

Dados oficiais sugerem que até o fim de 2013, mais de 181 mil brasileiros viviam no Japão. Somente naquele ano, entraram no país asiático, 3349 brasileiros.

O documento foi apresentado pelo embaixador japonês junto à ONU, Akira Kono.

Segundo ele, o país reformulou medidas sobre o reconhecimento de refugiados, e lançou uma campanha para promover o respeito a estrangeiros que vivem no país para eliminar o preconceito e a discriminação.

Proteção

Um dos integrantes da Comissão da ONU e relator para o Japão, Anwar Kemal, informou que o país deveria adotar uma lei contra a discriminação e combater o que chamou de discurso racista sem demoras. Kemal disse ainda que o Japão tem que aumentar a proteção dos direitos de minorias chinesas, coreanas e islâmicas que vivem no país.

Num dos exemplos, crianças de escolas coreanas teriam sofrido preconceito e ataques racistas pela internet.

Jogos Olímpicos

O discurso racista, que chegou a ser proferido também por alguns membros do governo, foi condenado com veemência pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Desde 2013, o Japão teria registrado mais de 360 casos de manifestações e discursos racistas.

O embaixador japonês contou que o país está trabalhando no conceito do Espaço Simbólico de Harmonia Étnica, uma iniciativa que deve ser lançada juntamente com os Jogos Olímpicos de 2020, que ocorrerão no Japão.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud