Aiea estuda impacto da mudança climática em regiões polares

20 agosto 2014

Projeto avalia também efeitos na superfície terrestre e nos ecossistemas aquáticos nas regiões de montanhas; aquecimento do planeta está a causar derretimento das geleiras.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, está a estudar os impactos da mudança climática em regiões polares e de montanhas.

Segundo a Aiea, estudos mostraram que essas áreas representam duas das mais vulneráveis pela mudança do clima.

Diferentes

Os especialistas explicam que apesar dessas áreas serem geograficamente muito diferentes, as regiões mais frias compartilham das mesmas características.

A mudança climática está a ter um impacto drástico e rápido sobre essas regiões, por exemplo, na diminuição das geleiras, em muitos casos o próprio desaparecimento.

Além disso, eles citam as calotas polares que estão a derreter num ritmo preocupante, a levar ao aumento do nível do mar.

A Aiea diz que os danos a esses meios ambientes não representam apenas fonte de preocupação para os cientistas e ambientalistas, mas para toda a comunidade internacional.

Geleiras

As autoridades alertam que comunidades que vivem em montanhas dependem das geleiras para extrair água potável, para agricultura, energia e turismo.

O principal objetivo do projeto da Aiea é examinar o impacto da mudança climática na criosfera, área que descreve todos os elementos do sistema terrestre a conter água no estado sólido.

Agora, os membros da Agência de Energia Atômica vão investigar o fenómeno nos seis continentes.

Eles esperam que os dados e as conclusões desse estudo ajudem os países a lidarem com essa questão global, assim como, ajudar as regiões e as populações mais afetadas pela mudança climática.