Chefe da Unesco lamenta mortes de jornalista e de intérprete em Gaza
BR

14 agosto 2014

Simone Camilli e Ali Shehada Abu Afash morreram ao lado de três palestinos que tentavam desativar explosivo; Irina Bokova afirma que oito profissionais da mídia perderam a vida desde o início do conflito, em julho.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, expressou profunda preocupação com a morte de um jornalista italiano e de seu intérprete na cidade de Beit Lahiya, em Gaza.

Simone Camilli, de 35 anos, estava trabalhando como repórter da Associated Press, ao lado do tradutor Ali Shehda Abu Afash. A chefe da Unesco, Irina Bokova, deplorou as mortes.

Explosivo

Segundo ela, todos são afetados com a “perda de indivíduos que trabalham de forma corajosa em zonas de conflitos para garantir que o mundo se mantenha informado”.

O jornalista e o interpréte morreram ao lado de três palestinos do esquadrão de bombas, que estavam tentando desativar um explosivo na quarta-feira de manhã.

Segundo a Unesco, oito profissionais da mídia morreram em Gaza desde o início dos conflitos em julho.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud