ONU faz balanço sobre situação da destruição de armas químicas na Síria
BR

5 agosto 2014

Conselho de Segurança fez a reunião a portas fechadas esta terça-feira e destaca “bons progressos”; parte que está sob responsabilidade do Reino Unido será destruída até o fim da semana; Estados Unidos já eliminaram 60% dos armamentos.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança realizou consultas sobre a Síria na manhã desta terça-feira. Os países que integram o órgão ouviram declarações da coordenadora da Missão Conjunta ONU-Opaq, a Organização para Proibição de Armas Químicas.

Sigrid Kaag forneceu ao Conselho uma atualização sobre a destruição das armas químicas no país árabe. Os detalhes da reunião a portas fechadas foram divulgados pelo embaixador do Reino Unido, que está presidindo o Conselho neste mês de agosto. 

Instalações

Segundo Mark Lyall Grant, os Estados Unidos já destruíram 60% das armas químicas que estavam no navio Cape Ray. O embaixador afirmou que nesta semana, o Reino Unido irá terminar de destruir as armas que estão sob sua responsabilidade. Depois, o material segue para Alemanha e Finlândia para a disposição final.

Sobre as 12 instalações, onde essas armas eram produzidas, a representante da missão ONU-Opaq disse ao Conselho de Segurança que elas serão eliminadas dentro de seis meses.

Comida

Sigrid Kaag anunciou também que sua equipe deve visitar a capital síria, Damasco, em setembro.

Ainda nesta terça-feira, o Programa Mundial de Alimentação, PMA, afirmou ter feito “progressos” em julho na entrega de comida aos sírios. Foram atendidas 3,7 milhões de pessoas, ou 300 mil a mais do que em junho.

Comboios conseguiram chegar a áreas sitiadas para levar alimentos a 300 mil civis dentro da Síria, mas a agência ressalta que os desafios e as preocupações com a segurança continuam neste mês de agosto.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud