Guiné-Bissau saúda cooperação com Portugal para prevenir ébola

4 agosto 2014

Novo primeiro-ministro do país, Domingos Simões Pereira, informou que país europeu ofereceu um lote de medicamentos para repor estoques da nação de língua portuguesa, no oeste da África.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Uma cooperação entre Portugal e a Guiné-Bissau está a permitir que a nação africana inicie ações de prevenção contra o vírus ébola.

Numa entrevista exclusiva à Rádio ONU, o novo primeiro-ministro guineense, Domingos Simões Pereira, explicou algumas das medidas tomadas para prevenir a doença, que já afeta vários países da África Ocidental inclusivamente a Guiné-Conacri.

Informação

“De várias medidas. Desde logo, perceber as manifestações da doença e poder desenvolver um programa de informação e sensibilização. A segunda medida passou por identificar mecanismos de triagem e poder realmente adotar estas unidades dos medicamentos necessários para o tratamento. A nossa cooperação com vários países, mas neste caso sobretudo com Portugal resultou na oferta de um lote de medicamentos, repor o nosso estoque e permitir que havendo o registo de alguns casos, possamos atacar a situação.”

Na sexta-feira, a Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou um plano de resposta ao surto. Desde março, a agência confirmou mais de 1,3 mil casos e 729 mortes em três países da região: Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa.

O plano de US$ 100 milhões pretende conter os altos índices do surto e ajudar a financiar o envio de médicos, enfermeiros e mais pessoal de saúde além de medicamentos para a região.

*Apresentação: Denise Costa.