Unctad quer uso de tecnologias móveis para facilitar envio de dinheiro

10 julho 2014

Agência prevê que milhões de dólares sejam enviados para os países da maioria dos 230 milhões de migrantes internacionais; migrantes da África Subsaariana pagaram o equivalente a 12% das remessas enviadas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.* 

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, reafirmou a sua aposta em potenciar o uso de tecnologias móveis para valorizar o envio de dinheiro para beneficiar os países pobres.

Para a agência, é prioritário aumentar a acessibilidade às tecnologias e cortar o custo das remessas para a comunidade global em desenvolvimento.

África 

Espera-se que milhares de milhões de dólares sejam enviados para os países de grande parte dos 230 milhões de migrantes internacionais. Prevê-se que o número aumente consideravelmente nos próximos anos.

A Unctad refere que, em 2013, o custo de envio de remessas para países na África Subsaariana foi equivalente a 12% das remessas.

Por ocasião dos seus 50 anos, a agência promoveu uma discussão que destacou os últimos desenvolvimentos em África, na Ásia e nas Américas.

Áreas Rurais

Conforme apontou, as tecnologias móveis incluindo telemóveis e outros dispositivos, são cada vez mais acessíveis aos mais carenciados nos países em desenvolvimento, incluindo em áreas rurais.

Para a agência, estas oferecem mais opções e ferramentas para um melhor acesso aos fundos e promoção da inclusão financeira.

50 anos

Diplomatas e especialistas reunidos para abordar os 50 anos da agência, concordara em alguns pontos para apoiar o processo.

Em primeiro lugar, concordaram que as regras tenham como alvo as pessoas sem contas bancárias para transações internacionais. Além disse estas devem estimular a confiança do mercado, parceria e inovação.

Em segundo lugar, determinaram que com o desenvolvido para remessas pelas redes móveis também deve ser aproveitado para outros tipos de pagamentos depósitos como forma de pagamento nos países e além fronteiras.

Em terceiro lugar, para além da comunicação entre o usuário e o prestador de serviços de dinheiro móvel, os participantes recomendaram que os mecanismos de compensação e de liquidação devem ser seguros, eficientes e abertos.

G-20

Para tal, pediram que os bancos centrais permitam um bom funcionamento de novos sistemas, que estes operem em simultâneo e sejam integrados aos sistemas de pagamento já existentes.

A agência lembra que o G-20,  grupo das principais economias países desenvolvidas e em desenvolvimento, comprometeu-se em reduzir o custo de envio de dinheiro em 5% num futuro próximo. 

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud