Nações Unidas ressaltam risco de violência sexual a mulheres no Iraque
BR

3 julho 2014

Agência da ONU, Unfpa, afirmou que 250 mil mulheres e meninas precisam de cuidados médicos nas regiões norte e oeste do país; calcula-se que 225 grávidas deem à luz diariamente; muitas enfrentam complicações de saúde durante a gestação.

Edgard Júnior, da Radio ONU em Nova York.

O Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, alertou para o risco de violência e exploração sexual contra mulheres e meninas no Iraque.

Segundo a agência da ONU, com quase 1 milhão de deslocados nas regiões norte e oeste do país, 250 mil mulheres e meninas, incluindo 60 mil grávidas, precisam de cuidados médicos urgentes.

Violência Sexual

O Unfpa calcula que 225 mulheres dão à luz diariamente na região e aproximadamente mil gestantes sofrem complicações de saúde com risco de morte todos os meses.

A agência diz ainda que 20 mil mulheres e meninas enfrentam risco de violência sexual.

O diretor-executivo do Unfpa, Babatunde Osotimehin, afirmou que as autoridades devem agir imediatamente para proteger o grupo.

Com a escalada do conflito e a piora na situação da segurança, o Unfpa cita que como acontece em qualquer tipo de emergência haverá um aumento da vulnerabilidade das mulheres e da violência baseada no gênero.

Ajuda Humanitária

Ainda sobre a crise no Iraque, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, entregou, esta quinta-feira, carregamento humanitário na cidade de Sinjar.

O representante da agência no país, Marzio Babille, contou que a situação das crianças na região é muito ruim. Segundo ele, mais de 800 famílias com centenas de crianças estão vivendo em um estádio local e em mesquitas.

A cidade de 35 mil habitantes está abrigando agora mais 50 mil deslocados internos, a maioria mulheres e crianças, que fugiram da violência no norte do país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud