ONU regista recrutamento de mais de 4 mil crianças-soldado em 2013

1 julho 2014

Relatório deplora violência sexual em situações que deixam os menores mais vulneráveis; documento aponta para aumento de menores em fileiras das partes dos conflitos da República Centro-Africana e do Sudão do Sul.

Edgard Júnior, da Radio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas anunciaram, esta terça-feira, que foram recrutadas mais de 4 mil crianças-soldado em 2013.

De acordo com a representante do secretário-geral para Crianças em Conflitos Armados, Leila Zerrougui, outros milhares de menores devem estar a ser usados em conflitos.

Violência Sexual

A responsável considera comuns os casos de impunidade por graves violações, principalmente de violência sexual em várias situações que acabam por deixar os menores de idade mais vulneráveis.

Na República Centro-Africana,  afirmou que o recrutamento e o uso de menores em conflitos tornou-se endémico no ano passado e aumentou com o evoluir da violência.

Zerrougui disse que com a retomada dos conflitos no Sudão do Sul, forças pró e contra o governo fizeram uso de crianças-soldado nas suas tropas além de terem cometido vários outros graves violações.

Nigéria

A representante especial de Ban Ki-moon disse ainda que na Nigéria, além da crise humanitária que atinge metade da população na região nordeste, o país enfrenta os ataques do grupo Boko Haram.

Os rebeldes são responsáveis por ações contra escolas e pelo sequestro de 200 meninas uma escola em Chibok no estado de Borno.

O relatório de Zerrougui inclui também uma lista de grupos armados e forças armadas que matam, mutilam, recrutam e cometem violência sexual contra crianças.

Vulnerabilidade

Segundo a representante da ONU, o recrutamento de crianças-soldado continua prevalecente. Zerrougui disse que a impunidade por graves violações, principalmente de violência sexual, é comum em várias situações e acaba deixando os menores de idade mais vulneráveis.

O número de assassinatos e de mutilações de crianças em áreas de conflito armado, particularmente no Afeganistão e no Iraque aumentou. O agravamento também foi registado na crise da Síria, onde a intensificação das hostilidades levou a graves violações contra crianças.

Detenção

O outro problema citado no relatório é o da detenção de crianças por associação a grupos armados ou por questões de segurança.

A representante do secretário-geral pediu um esforço redobrado da comunidade internacional para implementar medidas para lidar com a situação dos menores afetados por conflitos armados.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud