Países adotam 16 resoluções de proteção ambiental em Assembleia da ONU
BR

28 junho 2014

Secretário-geral disse que “o ar, a água e a terra fazem parte de um ecossistema delicado sob pressão constante”; encontro terminou esta sexta-feira em Nairóbi, no Quênia.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Assembleia da ONU sobre o Meio Ambiente terminou esta sexta-feira, em Nairóbi, no Quênia com a adoção de 16 resoluções de proteção ambiental.

Representantes de 160 Estados-membros e observadores participaram do encontro de cinco dias organizado pelo Programa das Nações Unidas para o setor, Pnuma. Eles pediram ação para combater a poluição do ar, que causa 7 milhões de mortes prematuras por ano.

Ameaça

Além disso, as autoridades citaram o combate ao comércio ilegal de espécies da fauna e da flora, crime que representa uma ameaça ao ambiente e ao desenvolvimento sustentável.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que “o ar que todos respiram, a água que todos bebem e a terra onde os alimentos são plantados fazem parte de um ecossistema muito delicado e que está sob crescente pressão”.

Ban disse ainda que “as soluções existem e que a mudança está no ar”.

Agenda

Já o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, deixou claro que as resoluções aprovadas pelos países na Assembleia vão ajudar a moldar a agenda ambiental global futura.

Segundo Steiner, elas vão também “determinar ações em questões prioritárias, que vão desde o comércio ilegal de vida selvagem até lixo plástico nos mares e rios”.

As resoluções aprovadas pelos Estados-membros lidam também com o problema das substâncias químicas e o lixo químico.

A Assembleia da ONU sobre o Meio Ambiente reafirmou o compromisso dos países para implementar a resolução final da Rio+20, “O Futuro Que Queremos”, especialmente no que diz respeito ao desenvolvimento sustentável.