Casos de África ilustrados em obra sobre agricultores de pequena escala

11 junho 2014

Livro de pesquisadores da Universidade de Oxford considera equivocada visão de que estes recebem tecnologias de forma passiva; cerca de dois terços de pessoas em pobreza extrema vivem em áreas rurais.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A editora da Universidade de Oxford lançou uma obra que examina pequenas comunidades agrícolas africanas.

A publicação intitulada “Novos Rumos para Agricultura de Pequena Escala” também menciona casos da Ásia e da América Latina pela sua semelhança em lidar com vários desafios do setor.

Apoio

Entre eles, estão riscos ambientais e as disputas de terra aliados às dificuldades de acesso ao crédito e aos mercados.

O livro, apresentado esta terça-feira em Roma, refere que os problemas são geridos pelas comunidades com novas formas de auto-organização entre os pequenos agricultores e com melhor apoio técnico e financeiro.

O presidente do Fundo para o Investimento na Agricultura, Fida, participou no lançamento. Na ocasião, Kanayo Nwanze disse que a obra ilustra como pequenas propriedades em áreas remotas podem tornar-se viáveis com um apoio adequado.

Pobreza

O representante disse ainda que pequenas empresas podem transformar-se nos principais contribuintes para a segurança alimentar dos países em desenvolvimento a longo prazo.

O Fida lembra que pequenos agricultores continuam em situação de pobreza extrema e fome crónica numa forma desproporcional.

Da agricultura de pequena escala dependem cerca de dois terços dos 1,2 mil milhão de pessoas das áreas rurais a sobreviver com menos de US$ 1,25 diário.

Visão

Sobre África, o livro considera equivocada a visão de que os pequenos agricultores são recetores passivos de tecnologias, ao invés de serem tidos como atores centrais e ativos para a transformação agrícola.

Ainda em relação ao continente, destaca a necessidade de uma mudança para sistemas de produção mais intensiva, para que os pequenos agricultores possam lucrar com a crescente procura de alimentos a nível global.

A obra sublinha estratégias para expandir abordagens para aumentar a produtividade dos pequenos agricultores e dos rendimentos para beneficiar milhões de pequenas propriedades rurais em todo o mundo.