Ban lamenta ataque na Bélgica e está preocupado com Líbano e Líbia BR

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Foto: ONU/Mark Garten

Ban lamenta ataque na Bélgica e está preocupado com Líbano e Líbia

Secretário-geral condenou todas as formas de discriminação racial na ação que deixou vários mortos em Bruxelas; chefe da ONU está preocupado com eleições libanesas e mobilização militar líbia.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou o ataque contra o Museu Judaico de Bruxelas e condenou todas as formas de racismo.

Ban disse que ficou chocado com o tiroteio ocorrido no sábado que deixou três mortos, dois israelenses e um francês.

Ele enviou pêsames às famílias das vítimas e desejou rápida recuperação de uma pessoa que ficou ferida.

Ban acredita que as autoridades belgas farão o possível para levar o mais rápido possível o responsável pelo ataque à justiça.

Líbano

O secretário-geral lamentou também que o parlamento libanês não tenha conseguido eleger um novo presidente dentro do prazo estabelecido pela constituição.

O mandato do atual chefe de Estado libanês, Michel Sleiman, terminou neste domingo e o parlamento deveria ter se reunido para escolher o próximo líder antes do fim desse prazo.

Ban pediu aos parlamentares que escolham imediatamente o novo presidente do país.

Ele afirmou que as Nações Unidas continuam empenhadas na parceria com o governo libanês para alcançar esse objetivo.

Líbia

Já em relação à Líbia, o secretário-geral se mostrou preocupado com a crescente mobilização militar perto de Trípoli, a capital.

Segundo Ban, conflitos armados podem colocar em risco os sacrifícios feitos pelo povo líbio pela liberdade e dignidade humana, principalmente no momento atual do processo de transição política.

Ban pediu a todas as partes envolvidas e líderes militares que evitem ações que possam prejudicar a transição democrática e que retomem o diálogo.