Guerras geram recorde de 33,3 milhões de deslocados no mundo
BR

14 maio 2014

Levantamento destaca que 63% dos casos ocorrem em cinco países: Síria, Colômbia, Nigéria, República Democrática do Congo e Sudão; a cada minuto, uma família síria precisa deixar sua casa devido à violência.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O total de deslocados internos no mundo atingiu um novo recorde: são 33,3 milhões de pessoas que fugiram de suas casas devido à violência e conflitos.

Os dados foram divulgados esta quarta-feira pelo Centro de Monitoramento de Deslocados Internos, com o apoio do Acnur, a agência das Nações Unidas para Refugiados.

Solução Difícil

Em Genebra, o alto comissário da ONU, António Guterres, declarou que o aumento dos novos desalojados faz com que seja difícil encontrar uma solução para esses civis.

Segundo o chefe do Acnur, o mundo testemunha hoje uma multiplicação de conflitos e ao mesmo tempo, Guterres falou sobre a impressão de que os conflitos antigos nunca terminam.

Do total de deslocados internos, 63% são de cinco países: Síria, Colômbia, Nigéria, República Democrática do Congo e Sudão. Somente na Nigéria, são 3,3 milhões desalojados pela violência.

Maior Crise

O relatório revela que no ano passado, 8,2 milhões de civis tornaram-se deslocados internos, sendo 43% da Síria. O país gera a maior crise de desalojados do mundo.

Por dia, são 9,5 mil sírios que fogem de suas casas por causa da guerra, o que representa uma família por minuto.

O relatório destaca que grupos armados controlam áreas onde existem campos para os desalojados. Nesses locais, os abrigos seriam inadequados, com problemas de saneamento e de entrega de ajuda humanitária.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud