Nações Unidas querem libertação imediata de observadores na Ucrânia
BR

28 abril 2014

Secretário-geral condenou captura e detenção dos especialistas da Organização para Cooperação e Segurança na Europa, Osce; agências de notícias informam que cerca de 40 pessoas estão sendo retidas por separatistas ucranianos na cidade de Sloviansk.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A ONU exigiu a libertação imediata de todos os observadores militares capturados na Ucrânia. O grupo pertence à Organização para Cooperação e Segurança na Europa, Osce, e está na Ucrânia a trabalho.

O apelo foi feito em nota pelo secretário-geral da ONU e inclui funcionários da entidade que estão acompanhando os observadores capturados.

Influência

Segundo agências de notícias, separatistas ucranianos detiveram cerca de 40 pessoas na cidade de Sloviansk incluindo jornalistas, ativistas pró-governo e sete observadores militares.

Ban Ki-moon disse que eles têm que ser soltos sem imposição de condições e de forma segura. Ele disse ainda que aqueles que estão praticando atos ilícitos e ilegais na Ucrânia terão que prestar contas. O chefe da ONU afirmou que os observadores têm o direito de cumprir suas funções sem impedimentos.

Ban voltou a pedir aos países e indivíduos com influência sobre a situação que ajudem a resolver o problema de forma urgente.

Ainda de acordo com agências de notícias, o prefeito de Kharkov, Gennady Kernes, sofreu um atentado a tiros enquanto pedalava pelas ruas da cidade.

O prefeito foi levado para o hospital com ferimentos graves para ser operado.

Ban finalizou a nota pedindo a todas as partes que acabem com a tensão na Ucrânia em busca de uma solução política e diplomática para a crise.