Relator quer consultas sobre reforma em comissão eleitoral marfinense

23 abril 2014

Doudou Diène pediu as autoridades que realizem as mudanças para “evitar que o país retorne à crise”.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Um relator independente das Nações Unidas sobre direitos humanos na Cote d’Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim, quer que o país realize reformas no setor eleitoral.

Em comunicado, emitido em Genebra, Doudou Diène, disse que os marfinenses devem iniciar uma série de consultas para discutir as mudanças na Comissão Eleitoral e evitar que a Cote d’Ivoire retorne à crise.

Democracia

Diène afirmou que a adoção de um projeto de lei sobre a reforma é um passo importante na consolidação da democracia marfinense.

Para o relator, a reforma deve ajudar ao processo de reconciliação nacional e reforçar o diálogo político.

Ele lembrou que a Comissão Eleitoral Independente cujo mandato deve durar até 2015 representou no passado a instituição mais sensível do período de crise pós-eleitoral. Para o especialista o retorno do diálogo no país africano, será necessário para resolver os problemas ainda em aberto.

Diène encerrou o comunicado a afirmar que a lei sobre a reforma da Comissão Eleitoral, que expressa o ponto de vista do governo deve ser levada a uma ampla consulta com os atores políticos e os representantes da sociedade civil.

A Cote d’Ivoire atravessou uma crise de violência entre 2010-2011 após as eleições no país. 

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud