Morte de deputado somali leva ONU a pedir justiça

21 abril 2014

Mohamed Isaak Rino foi vítima de um engenho explosivo improvisado em Mogadíscio; de acordo com agências noticiosas, mílícias islamitas al-Shabab teriam assumido autoria do ataque desta segunda-feira.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O enviado do secretário-geral das Nações Unidas na Somália condenou, esta segunda-feira, o assassinato do deputado Mohamed Isaak Rino, poucas horas após a explosão da qual foi vítima na capital, Mogadíscio.

A nota refere que um engenho explosivo improvisado foi implantado no veículo do parlamentar. No incidente, foi ferido um outro membro do parlamento e vários civis.

Segurança

Agências noticiosas referem que o ataque foi reivindicado pelo grupo islamita al-Shabab, um dia após o início de uma conferência de segurança organizada pelo governo da nação do Corno de África.

Após condenar o assassinato “nos termos mais fortes”, Nicholas Kay pediu que os autores sejam levados à justiça.

O representante apresentou condolências à família do malogrado, tendo desejado uma rápida recuperação aos feridos.