Acnur tenta lidar com fluxo de sul-sudaneses a caminho da Etiópia

15 abril 2014

Estimativas apontam para entre 800 a 1 mil entradas diárias no país vizinho; agências noticiosas falam de violentos combates entre o exército e os rebeldes na cidade petrolífera de Bentiu, no norte.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 95 mil refugiados sul-sudaneses já entraram na Etiópia após o início do conflito, anunciou esta terça-feira o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

As declarações foram confirmadas à Rádio ONU pelo encarregado de Informação da agência, Luiz Fernando Godinho, que está na área etíope de Gabbella na fronteira oeste com o Sudão do Sul.

Estação de Chuvas

“A agência está acelerando o seu trabalho aqui na Etiópia, para melhor atender os refugiados do Sudão do Sul que estão chegando no país. Já são 95 mil refugiados sul-sudaneses no país e o Acnur e seus parceiros estão trabalhando para melhorar a condições destes refugiados aqui na região de Gambella. Estamos trazendo tendas, construindo campos e realocando refugiados em áreas mais altas, para que eles não sejam afetados pela estação das chuvas porque está próxima”, disse.

O número de refugiados foi anunciado no dia em que agências noticiosas relataram duros combates entre o exército e os rebeldes sul-sudaneses na área petrolífera de Bentiu, no norte. Os relatos referem que as duas partes acusam-se mutuamente de violar o cessar-fogo assinado em janeiro.

Desde meados de dezembro o conflito sul-sudanês já fez mais de 1 milhão de deslocados.

Voos de Emergência

O Acnur anunciou o envio de cerca de 4 mil tendas para os refugiados na Etiópia, no primeiro de sete voos de emergência a aterrar no aeroporto de Gambella para distribuição em vários acampamentos.

Estima-se que na área etíope cheguem diariamente entre 800 a 1 mil pessoas do Sudão do Sul.