FAO ajuda produtores de coco nas Filipinas

10 abril 2014

Canadá anunciou contribuição de o equivalente a US$ 5,5 mil milhões à agência da ONU; plantadores vão aprender processo de cultivo alternado e diversificado, e  criação de aves.

Michelle Alves de Lima, da Rádio ONU em Nova York.*

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, anunciou na terça-feira, 8 de abril, que pequenos produtores de coco nas Filipinas devem receber assistência para retomar as suas atividades, que foram afetadas no ano passado pelo tufão Haiyan.

A FAO diz que apenas na região de Visayas Oriental, conhecida por “Região VIII”, cerca de 33 mil milhões de coqueiros foram danificados ou destruídos, atingindo mais de um milhão de produtores de coco.

Cultivo alternado

Segundo a agência da ONU, o Governo do Canadá confirmou uma contribuição de o equivalente a US$ 5,5 mil milhões. Com este dinheiro, a FAO e o Governo das Filipinas vão ajudar os produtores no processo de cultivo alternado e diversificado, e na criação de aves.

Estas atividades devem ajudar na subsistência das comunidades que vivem da produção de coco, já que os coqueiros recém-plantados podem levar de seis a oito anos para dar frutos.

O representante da FAO nas Filipinas, Rajendra Aryal, disse que a ajuda do Canadá vai beneficiar mais de 11 mil famílias que dependiam da renda com o fruto. Estas famílias devem receber sementes de vegetais e raízes de mandioca e de batata-doce, que demoram poucos meses para crescer.

O tufão Haiyan matou mais de 6 mil pessoas, deixou milhões de desabrigados e causou destruição nos setores da agricultura e da pesca nas Filipinas.

*Apresentação: Denise Costa.