Conselho de Segurança renova mandato da Missão da ONU na RD Congo

28 março 2014

Órgão considera que a situação ameaça à paz e segurança na região; Monusco e Brigada de Intervenção devem continuar a operar até 31 de março de 2015 no país dos Grandes Lagos; missão é chefiada por general brasileiro Santos Cruz.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança decidiu alargar por mais um ano o mandato da Missão da ONU na República Democrática do Congo, RD Congo.

Numa resolução aprovada por unanimidade, o órgão realça que a situação no país continua a constituir uma ameaça à paz e à segurança na região.

Brigada de Intervenção

Na sessão realizada esta sexta-feira, foi igualmente estendido, para 31 de março de 2015, o mandato da Brigada de Intervenção, que está integrada na missão com a sigla Monusco. As tropas são comandadas pelo general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Os 15 Estados-membros do Conselho manifestaram profunda preocupação com o número crescente de deslocados congoleses. São cerca de 3 milhões de pessoas dentro do território, além de 450 mil cidadãos que fugiram para os países vizinhos em busca de refúgio.

Violações

O pedido ao governo é que sejam responsabilizados os autores crimes da guerra e contra a humanidade no país. O órgão insta as autoridades a garantir que sejam levados à justiça os responsáveis por graves violações e abusos de direitos humanos ligados à violência nas eleições de novembro de 2011.

O Conselho reiterou a sua preocupação com a crise humanitária e de segurança no leste, devido às atividades de grupos armados nacionais e estrangeiros.

Os países-membros destacam a importância da sua neutralização, incluindo as chamadas Forças Democráticas de Libertação de Ruanda, Fdlr, que integra nas suas fileiras pessoas tidas como responsáveis pelo genocídio no país há 20 anos.