Economia são-tomense pode crescer 5% em 2014, segundo FMI

25 março 2014

Órgão prevê fracas previsões de financiamento externo para projetos de investimento; inflação registou valor mais baixo em 20 anos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

São Tomé e Príncipe deve registar um crescimento económico de 5% em 2014, de acordo com a mais recente estimativa do Fundo Monetário Internacional, FMI.

O órgão defende que o desempenho vai continuar condicionado pelas fracas perspetivas de financiamento externo para os projetos de investimento do país africano.

Ancoragem ao euro

Espera-se que até ao fim deste ano, a inflação chegue a 6%, graças ao que o FMI considera “prudente orientação da política fiscal aliada à ancoragem da moeda local, a dobra, ao euro”. Ao atingir 7,1% em janeiro, a inflação registou o seu valor mais baixo em duas décadas.

A expansão registada em 2013 deve ser de 4%, que permanece inalterada relativamente a 2012.

Dívida

O FMI destaca que a dependência do país em relação aos valores de ajuda e de financiamentos continuou alta, tendo alertado para o seu efeito sobre o alto risco de sobre-endividamento de São Tome e Príncipe.

A recomendação é que as autoridades prestem muita atenção às grandes implicações dos novos empréstimos para a sustentabilidade da sua  dívida.