Com Kerry, diretor da Opaq discute retirada de armas químicas da Síria BR

Com Kerry, diretor da Opaq discute retirada de armas químicas da Síria

Secretário de Estado americano participa em Haia da Conferência sobre Segurança Nuclear; John Kerry e Ahmet Üzümcü lembraram que mais de 50% do arsenal químico sírio já foi removido do país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O diretor da Organização para a Proibição de Armas Químicas, Opaq, encontrou-se com vários líderes internacionais esta segunda-feira, no primeiro dia da Conferência sobre Segurança Nuclear.

A reunião de alto nível ocorre em Haia, na Holanda. Com o secretário de Estado americano, Ahmet Üzümcü discutiu a retirada das armas químicas da Síria.

Apoio

Üzümcü agradeceu John Kerry pelo apoio “inestimável” dos Estados Unidos à Missão Conjunta ONU-Opaq, que lidera o processo de destruição do arsenal químico sírio.

O diretor da Opaq lembrou que o governo americano forneceu o navio Cape Ray, com sistema de hidrólise que neutraliza uma grande parte dos químicos no mar.

John Kerry lembrou que mais de 50% das armas químicas já foram retiradas da Síria, o que segundo ele é significante, mas o “real significado será alcançado quando todas as armas estiverem fora do país”.

Japão e Austrália

O secretário de Estado americano ressaltou a admiração pelo trabalho da Opaq na Síria.

O diretor da Opaq também teve uma reunião com o primeiro ministro do Japão, Shinzo Abe. Üzümcü elogiou o governo japonês pelos progressos na destruição de armas químicas abandonadas pelo país em território chinês.

Ele agradeceu ainda a doação de 13,2 milhões de euros feita pelo Japão ao Fundo da Opaq para a Síria, que foi a maior contribuição financeira feita até agora para os trabalhos de destruição do arsenal químico sírio.

A situação na Síria também ganhou espaço no encontro de Ahmet Üzümcü com a ministra das Relações Exteriores da Austrália, Julie Bishop. O diretor da Opaq reconheceu o apoio australiano na missão.