OIM afirma que migrantes são chave no sucesso de combate à tuberculose

24 março 2014

Agência da ONU informou que um terço dos 9 milhões que aualmente contraem a doença não recebe tratamento médico; autoridades afirmam que migrantes correm maior risco por serem marginalizados e não terem acesso aos serviços de saúde.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, alertou que o acesso aos migrantes é a chave para o sucesso na luta global contra a tuberculose.

Um terço dos nove milhões de pessoas que anualmente contraem a doença não participa do sistema de saúde.

Risco

A OIM afirmou que o migrante corre um risco maior de não ser diagnosticado ou de não receber tratamento médico porque, geralmente, é marginalizado pelas sociedades, não tem acesso ao sistema de saúde e também teme o estigma associado à doença.

A agência sublinha que, em muitos países, os migrantes podem ser deportados se forem diagnosticados com tuberculose.

No Dia Mundial da Tuberculose, esta segunda-feira, 24, a OIM pediu à comunidade internacional que tente alcançar os 3 milhões de doentes que não recebem tratamento anualmente.

Migrantes

Segundo o diretor-geral da agência, William Swing, “num mundo cada vez mais móvel, é vital que os migrantes sejam colocados no centro das iniciativas para combater a propagação da tuberculose.”

A OIM declarou que o período de tratamento da doença é de aproximadamente seis meses.

O pouco conhecimento dos refugiados e migrantes sobre os sistemas de saúde dos países onde estão, acaba por levar a uma falta de conscientização do grupo sobre os perigos da demora para receber ajuda médica ou interrupção dos tratamentos.

A OIM destaca que as populações deslocadas devido a crises humanitárias também não têm escolha e devem continuar a mover-se de um lugar para o outro. Com a deslocação interrompem qualquer tipo de tratamento médico.

Segundo a agência, todos os fatores mencionados devem ser levados em consideração no combate à doença.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud