Mais de 6 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária no Sudão

19 março 2014

Ocha diz que mais de 3,3 milhões estão em Darfur; no país, chefes de várias entidades procuraram entender os desafios das operações e impulsionar o apoio financeiro.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A comunidade internacional e de ajuda humanitária deve dar mais apoio para atender melhor a mais de 6,1 milhões de pessoas no Sudão. O número representa um aumento de mais de 40 % em relação a 2013.

O anúncio foi feito, esta segunda-feira, em Cartum, pelo diretor de Operações do Escritório de Assistência Humanitária da ONU no fim de uma visita de uma equipa de representantes de entidades de emergência.

Crianças Malnutridas

John Ging disse que o foco é fazer o melhor para aliviar o sofrimento dos carenciados, que incluem mais de 3,3 milhões de pessoas em Darfur. Por outro lado, revelou que meio milhão crianças com menos de cinco anos estão malnutridas.

Com a visita ao Sudão, o Grupo de Diretores de Emergências disse que a intenção era entender os desafios das operações humanitárias e a mobilização de mais apoio financeiro.

Doadores

A deslocação incluiu encontros com representantes do governo, parceiros humanitários e doadores na capital sudanesa.

Ging disse que do apelo de US$ 995 milhões feito pelos agentes humanitários, foram entregues US$ 77 milhões, um começo que considera generoso mas diz que há ânsia em garantir o financiamento contínuo.

Sofrimento

O representante disse que a ação humanitária está a fazer uma grande diferença no país ao ajudar a salvar vidas e aliviar o sofrimento. Em 2013, mais de 3,7 milhões de pessoas receberam assistência alimentar.

As agências revelaram que mais de 132 mil crianças com desnutrição severa foram tratados, além do programa de vacinação que abrangeu mais 6,7 milhões de menores de cinco anos.

Ao dirigir-se aos envolvidos nos confrontos, Ging exortou que estes se juntem ao processo político.