Coreia do Norte fala de manipulação após apresentação de informe da ONU

17 março 2014

Em Genebra, Comissão de Investigação de Direitos Humanos revela que tentativas de diálogo foram rejeitadas pelos norte-coreanos; diplomata invoca intenção de eliminar a liderança e regime do país.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As violações cometidas na Coreia do Norte podem chegar a representar crimes contra a humanidade, destaca um relatório da Comissão de Inquérito dos Direitos Humanos no país.

O documento entregue nesta segunda-feira, em Genebra, classifica os abusos de graves, sistemáticos e generalizados. O informe de mais de 80 testemunhos de vítimas, foi publicado há um mês com base em audições feitas em cidades como Seul, Tóquio, Londres e Washington.

Conclusões

Falando no órgão, o embaixador da Coreia do Norte junto das Nações Unidas em Genebra, SO Se Pyong, não aceitou as conclusões do relatório.

O diplomata destaca que o seu país nunca reconheceu o mandato da Comissão de Investigação que, na sua opinião, foi fabricado e manipulado por forças hostis.

Liderança

Pyong acusou os Estados Unidos e outros países de tentarem usar a comissão para eliminar a liderança e o regime socialista da Coreia do Norte.

O documento destaca crimes como extermínio, assassinatos, tortura, estupros e outras ofensas sexuais.

Políticas

O presidente da Comissão de Investigação, Michael Kirby, declarou que os crimes surgiram de políticas criadas pelos mais altos escalões do governo.

Kirby revelou que todos os esforços para dar início a um diálogo ou cooperação foram rejeitados pelos norte-coreanos. A Comissão pediu ao país asiático que respeite os direitos humanos dos seus cidadãos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud