Visitas entre famílias do Saara Ocidental serão retomadas em abril

Visitas entre famílias do Saara Ocidental serão retomadas em abril

Alto comissário para Refugiados, António Guterres, celebra acordo após “intensas negociações”; programa apoiado pelo governo português inclui Marrocos, Frente Polisário, Argélia e Mauritânia.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou esta quarta-feira que serão retomadas as visitas entre famílias do Saara Ocidental. A primeira vaga de voos está agendada para 17 de abril e inclui quatro voos que tinham sido suspensos em agosto do último ano.

O Acnur está no processo de submeter uma lista dos interessados e as viagens serão agendadas até o final deste ano. O alto comissário António Guterres celebrou a retomada das visitas, “após intensas negociações”.

Seminários

Guterres disse que as famílias separadas terão a oportunidade do reencontro, o que é “vital”, já que as visitas “aumentam a confiança e o entendimento sobre uma das situações de refugiados mais longas do mundo”.

O chefe do Acnur pede compromisso de todos os envolvidos no processo e afirma que a agência está sempre pronta a prestar apoio. O programa para o Saara Ocidental inclui seminários, visitas familiares e encontros em Genebra.

Argélia e Mauritânia

Participam os dois lados envolvidos, o Marrocos e a Frente Polisário, e dois países vizinhos, Argélia e Mauritânia. Desde que o programa começou, em 2004, quase 20 mil pessoas realizaram as visitas familiares.

Os seminários são apoiados pelo governo de Portugal e o próximo será nos Açores, no domingo. A outra reunião ocorre em Genebra, em junho.

O Acnur explica que muitas pessoas do Saara Ocidental estão separadas das suas famílias por quase quatro décadas. A falta de uma solução política impede o retorno às cidades de origem. Os refugiados começaram a chegar na Argélia em 1975, após a saída da Espanha dos territórios do Saara Ocidental.

*Apresentação: Denise Costa.