Acnur ajuda nas buscas após acidente com barco no Golfo do Áden

11 março 2014

Segundo agência, 44 pessoas continuam desaparecidas após embarcação virar na sexta-feira; patrulha do Acnur encontrou 33 sobreviventes no domingo, em zona próximo a Shabwa, no Iémen.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, expressou “profunda tristeza” com mais um acidente de barco no Golfo do Áden envolvendo refugiados e migrantes.

A embarcação transportava 77 homens, mulheres e crianças da Etiópia e da Somália. O barco saiu da Puntlândia, na costa norte da Somália, na sexta-feira.

Resgate

Ao enfrentar ventos e ondas muito fortes na costa sul do Iémen, em Shabwa, o barco encheu-se de água e virou. No domingo, uma patrulha do Acnur e da Sociedade para Solidariedade Humanitária encontrou vários sobreviventes.

Segundo o Acnur, 33 pessoas foram resgatadas, mas os outros 44 civis continuam desaparecidos. Com apenas uma exceção, todos os sobreviventes eram homens.

Relatos

Uma das vítimas, de 45 anos, contou ao Acnur que perdeu os seus dois filhos na tragédia, o que impossibilitou a sua procura na escuridão. A única mulher resgatada até ao momento disse que os contrabandistas recusaram-se a fazer parar o barco durante a tempestade.

O Acnur considera ser a tragédia mais significativa a envolver refugiados e migrantes a cruzar o mar do Iémen durante o último ano. A agência da ONU pede aos governos, as organizações internacionais e à sociedade civil que desenvolvam respostas para prevenir o tipo de acidentes.

Nos últimos cinco anos, mais de meio milhão de pessoas cruzaram as águas do Golfo do Áden e do Mar Vermelho na tentativa de alcançar o Iémen. A maioria era da Somália, da Etiópia e da Eritreia.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud