Nações Unidas enviam emissário para a Crimeia

4 março 2014

Porta-voz do Secretário-Geral diz que deslocação poderia verificar eventuais abusos dos direitos humanos; vice-chefe da organização desdobra-se em contactos com autoridades e diplomatas em Kiev.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas anunciaram o envio para a Crimeia do conselheiro sénior do Secretário-Geral, Robert Serry, a partir da capital ucraniana Kiev.

O porta-voz de Ban-Ki-moon disse, nesta terça-feira, que a deslocação visa avaliar a situação para que venha a constar num informe ao vice-secretário-geral da ONU, Jan Eliasson, que está na capital do país.

Direitos Humanos

As ser questionado por um jornalista se a organização teria um registo de abusos ocorridos na crise, o porta-voz de Ban, Martin Nesirky contou que a visita poderia verificar a hipótese da eventual violação de direitos humanos.

Em Kiev, o vice-chefe das Nações Unidas estabelece encontros com autoridades e diplomatas. Os contactos para discutir a atual crise no país incluíram reuniões com figuras como o presidente interino, o líder do parlamento e o primeiro-ministro interino.

Uma nota emitida após o encontro com o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia ressalta a necessidade de unidade e da calma a nível internacional na busca da paz para o país.

Canais Diplomáticos

No encontro, ambos disseram ter concordado que devem prosseguir ativamente todos os canais diplomáticos. Eliasson pediu respeito à integridade territorial da Ucrânia.

A questão foi tema da terceira reunião de emergência sobre a crise no país realizada, nesta segunda-feira, no Conselho de Segurança.

Evolução

Falando ao 15 Estados-membros, o secretário-geral assistente para os Assuntos Políticos disse que a situação na Ucrânia continuou a evoluir “rapidamente” desde o fim de semana.

Oscar Fernandez-Taranco reiterou o apelo da ONU para a calma e o diálogo, tendo dito que a organização entendia que o problema permanente era a acumulação de tropas russas na Crimeia. O representante também fez alusão ao cerco da base militar ucraniana local por tropas russas.

Controlo

Além disso, apontou a situação fluida no leste com relatos de manifestações em várias cidades ucranianas, bem como por tentativas de grupos locais para assumir o controlo de edifícios governamentais.

O representante reiterou o apelo aos líderes mundiais lançado por Ban Ki-moon, em prol da partilha da responsabilidade urgente na busca de uma solução pacífica através de esforço de colaboração.